sábado, 3 de dezembro de 2016

Bandeirante de Birigui (SP)


Fotos: Site do Bandeirante Esporte Clube

HISTÓRICO

A tradicionalíssima equipe de Birigui já disputou todas as divisões dos campeonatos organizados pela Federação Paulista de Futebol. É uma das poucas equipes do interior do estado de São Paulo que tem essa experiência.

Desde 1980, oscilava entre a Segunda e Terceira divisões (atuais A-2 e A-3, respectivamente).

Em 1983, o maior desastre da sua história. Num jogo entre Bandeirante e Noroeste de Bauru valendo pelo Paulista da Segunda Divisão(atual A-2),a torcida leonina invadiu o gramado para agredir o assistente que deu impedimento no único gol do BEC no jogo e acabou invadindo também o lugar da torcida do Noroeste.

Campeão da Segunda Divisão (atual A2) em 1986 em cima do mesmo Noroeste, participou pela primeira e única vez da Primeira Divisão(atual A-1) em 1987. Mas não foi bem sucedido durante todo o campeonato e foi rebaixado. O maior feito do time no campeonato daquele ano, foi vencer o São Paulo Futebol Clube dentro do estádio do Morumbi.

No Paulistão de 1988, a Federação Paulista mudou tantas vezes as leis de rebaixamento, o que fez Bandeirante e a Ponte Preta tentarem na justiça o direito de disputar novamente a Primeira Divisão. A maioria dos clubes da Primeira boicotaram os dois clubes que acabaram sendo rebaixados para a Segundona.

Em 2001 o BEC sagrou-se campeão da Copa Coca-Cola (atual Copa Paulista) em cima do União Barbarense. O torneio dava direito a uma vaga na Copa do Brasil para a equipe campeã, mas em uma destas inexplicáveis viradas de mesa, o direito de disputar o certame nacional foi passado ao Clube Atlético Bragantino.

Em 2004, 2005 e 2007, o time ficou muito próximo de subir à Série A-1 do Paulistão. No ano seguinte ao de 2007, rebaixamento para a Série A-3.

Em 2010,o BEC sentiu o gosto amargo de ser rebaixado para a Segunda Divisão (antiga Série B-1).

O time manda os seus jogos no Estádio Municipal Pedro Marin Berbel, ou "Pedrão", com capacidade para 18.000 pessoas. A partida de inauguração do "Pedrão" ou "La Pedronera" apelido dado ao time nos anos de 2007 a 2009, o qual todos os jogos eram lotados, ocorreu em 11 de fevereiro de 1983 entre Bandeirante 1 X 2 Botafogo, de Ribeirão Preto.

Antes, a equipe mandava seus jogos no acanhado Estádio Roberto Clark onde funciona hoje as escolinhas de base do Bandeirante.

No passado, a equipe do Bandeirante Esporte Clube fez uma excursão, jogando contra equipes de cidades existentes ao longo da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, não perdendo e nem empatando uma só partida. A partir daí, ficou conhecido como “Leão da Noroeste”.

Assim como sua cidade, o "Leão da Noroeste" era muito citado no “Rockgol de Domingo”, com direito a leãozinho de pelúcia vestido de uniforme bandeirantino no cenário.

2009. Em pé: Alex – Rogério – Henrique – Douglas – Anderson - Anderson Santos e Juninho. Agachados: Daniel – China - Luiz Fernando e Jackson.

2008. Em pé: Cristiano – Douglas – Dias – Anderson e Elias.
Agachados: Lutti – Guim – Alberone – Leônico - Wellington e Marcelinho.

2007. Em pé: Marins - Tada (preparador físico) – Wanderson – Negretti – Pedrinho - Bruno e Selmo. Agachados: Robson Goiano – Edinho - João Paulo – Tupã - Borebi e Júlio Madureira.


2004. Em pé: Jansen – Hamilton – Leão – Fernando - André Liranço – Rogério - André Alves – Jozimar – Wagner – Evandro – Perez – Magalhães - Varlei de Carvalho (técnico) – Gabriel - Márcio Zamai – Marco - Mauri e Émerson. Agachados: Edmilson Zamai - Alexandre Pedalada – Tupã – Massaro – Douglas - Luciano Gigante - Carlos Henrique – Carlinhos - Vinicius e Marcos Dias. O último abaixo é Selmo.

2003.

2002. Em pé: Zecão (preparador de goleiros) - Gabriel (massagosta) – Selmo – Almeida - Doutor Collado – Magalhães – Carabina – Rogério – César - André Alves - Lélis e Luiz Henrique. Agachados: Alcides (auxiliar técnico) - Andrézinho (preparador físico) – Adão – Pretinho – Esquerdinha – Silas – Reginaldo – Adilson – Fabrício – Clayton - Carlinhos e Renatinho.

1999. Em pé: Marcelo - Walter Silva (preparador físico) – Dida – Luciano – Edmilson - Selmo Lima – Amaral – Magalhães – Donizetti – Esquerdinha - Jansen (supervisor) - Juninho (presidente) e Polozzi (técnico). Agachados: José Reis (massagista) - Edson Costa – Kanu – Bazan – Deinha – Luizão – Pretinho - Marcio Rogério – Barbosa e Reginaldo. Mascote: Rafael (filho do Jansen).

1995. Em pé: Manoel Messias (preparador físico) - Marcio Goiano – Agnaldo – Edmilson – Oliveira - Selmo e Doriva. Agachados: Paulo Mendes - Valdir (massagista) - Fernando Vilanova – Cleto – Baiano e Luiz Carlos Mineiro.

1977.  Em pé: José Rambaldi - Dorival Volpe - Luiz Preto – Betinho - Lú Doná – Solera – Mauro e Pedro Silva (técnico).  Agachados: Aleixo (massagista) – Silas - Luiz Carlos Pelé – Aluxe – Bodinho - Nilsinho e Cissa.

1976. Em pé: Alcides (técnico) – Cidão - Luiz Preto – Wilsinho – Cissa – Solera – Benemérito e Otímio Inacio. Agachados: Gringa – Dadinho - Luiz Carlos Pelé – Fernando - Nilsinho e Olézio.

1974. Em pé: Luiz Preto – Betinho – Fernando – Pedrinho - Sergio Luiz e Gerbe. Agachados: Gringa – Bichinho – Pelezinho - Degas e Nicolinha.

1973. Em pé: Pedroso – Solera – Degas – Peri - Luiz Antonio (Totó) – Gilberto - Betinho e Mauri. Agachados: Macuco – Caveirinha - Antônio Carlos – Gilson – Rinaldo - Helinho e Nicolinha.

1969. Em pé: Juraci Spósito – Vadão – Kelu – Paraguai - Pedro Silva – Bob – Gato - Carlinhos e Rolinha. Agachados: Aleixo (massagista) -  Caveirinha – Marchetinho – Cissa - Mato Grosso – Quezinho – Silas - Helinho e Toniquinho.

1968. Em pé: Bob – Lala - Fernando Reatto - Luiz Carlos Pelé – Macaco e Gil. Agachados: Toniquinho – Brucu – Silas - Baianinho e Zé Carlos.

1965. Em pé: Balão – Jura – Gastão – Orlando – Izidoro – Ênio e Detão.
Agachados: Aleixo (massagista) – Riachuelo – Claudinho – Aluxe - Noronha e Zugudinha.

1963.  Em pé: Belchior – Detão – Isidoro – Orlando – Marlan – Claudinho - Balão e o técnico Dario Miguel. Agachados: Helinho – Riachuelo – Esgalha - Noronha e Valdir.

1962. Em pé: Juca de Oliveira – Bugiga – Dico - Waldir Campoi – Coca – Zelão – Naná - Zé Doná – Gastão e Pirilampo. Agachados: Lula – Sgalha – Bananinha – Tico – Véio - Esquerdinha e Valdir Collado.

1961. Em pé: Waldir Campoi – Chicão - Oscar Bortolucci - Décio Martins - Ed Guararapes - Celso Botteon e Jocelim. Agachados: Juvenal Gardenal - Neno Teclis - Waldir Amantéa - Carlinhos Piovan - Dias (Pica-Pau) e China.

1960. Em pé: Mauro Fiorin – Laercio – Tirso – Zequinha – Abel - Dario Miguel - Ed Guararapes – Jocelim e Geraldinho. Agachados: Décio Martins – Nelsinho – Pratinha – Oswaldinho – Pacote – Felício – Leonel e Vasco Cinquini.

Rugilo.

1959.

1959.

1957.

1956.

1956.

1955.

1955.

1955.

1954.

1954.

1953.

1953.

1953. Em pé: Ferreirão (técnico) – Loli – Badê - Mauro Fiorim – Guilherme – Fernandinho – Prates - Nelson Faria e Vila. Agachados: Dejair – Antero – Doquinha – Izidoro – Manolo - Luiz Marini – Romeuzinho e mascote (filho do Vila).

1953. Elenco. Diretoria, comissão técnica e atletas. Mario Crem dos Santos - Waldemar Lot - Florentino de Oliveira - Pimenta (massagista) - Miguel Bizogni - Gerson Pereira - Lorival Ferraz Lobo - Silvio Vieira Coelho - Ferreirão (técnico) - Mauro Fiorim – Guilherme – Antero – Badê – Doquinha – Vila – Prates – Loli – Romeuzinho – Manolo - Fernandinho e Luiz Marini.

1953. Lance de jogo.

1952. Em pé: Loli - Dito Bráz – Fernandinho - Flavio, Prates e Vila. Agachados:  Antero - Doquinha II – Izidoro - Manolo Ibanhez e Romeuzinho.

Construção do Estádio Roberto Clark

Com o time disputando o Paulista profissional, o Bandeirante precisava de um estádio para comportar seus fanáticos torcedores. A construção do Estádio Municipal Dr. Roberto Clark foi um acontecimento na cidade, mobilizando famílias a trabalharem no empreendimento.

Fachada original do estádio.

Arquibancada de madeira em dia de jogo no Estádio Roberto Clark na metade dos anos 50.

Arquibancada.

Gramado era elevado, visão do escanteio.

Placa e gramado.

Mulheres e crianças ajudavam na construção do estádio.

Vestiários do juiz, BEC e visitantes.

1950. Em pé: Colombinho – Walter – Tiano – Orombelo – Leopoldo – Angelim – Jair – Nilton - Otacilio e Sidney. Agachados: José Moura Leire (juiz) – Pacote – Botina – Baltazar – Jobim – Claudio – Manolo – Dionisio - Galo e o técnico Domingos Spagaro.

1949.

1948.

1947. Joel – Cassiano – Churrasco – Cindo – Inácio - D´Anunzio e Ibrahim.
Agachados: Sidney – Munhoz – Angelim – Jobim - Nelson e Doquinha.

1946.

1945. Em pé: Nevio de Cunto – Gomes – Manolo – Dema – Cindo – Jobim – Horácio – Tatá e Grota. Agachados: Rubens – Brandão – Ibrahim – Marcos – Zico e Orombelo.

1941.

1940. Em pé: Boteonzinho – Nezião – Marchetti – Zico – Bim – Gumercindo - Chagas e Freitas. Agachados: Romeu Rossi – Martins - Nezio Dorta e Arnaldo.

Coco, Nezio Dorta, Coco II. Trio que atuou no Bandeirante no final dos anos 30.

1938. Em pé: Armando – Bim – Cangerê – Bigoli - J. Miragaia - Ibrahim Ibanhez – Zico – Ataliba - Wilson Farani - Farah e Otavio Campos.

1938. Sede.

1938. Inauguração da sede.

1938. Inauguração da sede.

Equipe de 1934, que contava com Otávio Campos, jogador e radialista (último agachado)

1934

1933.

1926 – Lance de um jogo entre Bandeirante x Presidente Alves, no  campo da Rua João Galo com Siqueira Campos.

1925. 


Dante Belinelo jogou na primeira formação da equipe.


Fioravante Zim também fez parte da primeira equipe do Bandeirante.


Cesário Mazeto jogou na primeira equipe do Bandeirante.


Joaquim Cicliati, primeiro goleiro.


Carteira de Sócio de Joaquim Ciciliati, integrante da primeira equipe do Bandeirante.


Década de 1920. Em pé: Borges – Dante – Monaci – Trampolim – Badin – Bocaina – Cezário – Tonico – Joaquim e Bastos. Sentados: Jaime - senhora Teresa Bartocci e José Troncoso.

1923. Primeira formação do Bandeirante. Primeira fila: Walter Vicentini, Joaquim Cicliati e Guilherme Demarchi. Segunda fila: Alfredo Roquete, Fioravante Zin e Cezario Mazetto. Terceira fila: Dante Belinelo, Gastão Martineli, Alfredo Monaci, Orozimbo Silva e Paschoal Bartoci.

Nenhum comentário: