quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Sá Viana Futebol Clube

Fotos: Acervo do Sá Viana Futebol Clube

HISTÓRICO

No início dos anos 40, dois clubes rivais do centro da cidade, Flamengo e Rio Branco, resolveram unir as forças e criar uma nova equipe de futebol. Realizaram um jogo, cujo prêmio seria batizar o novo clube com o nome do vencedor. Mas, em meio a disputa, da qual ninguém sabe ao certo quem ganhou, foi sugerido que o novo clube homenageasse a pessoa, cujo busto encontrava-se a beira do rio Uruguai.

O busto, um presente vindo do governo argentino, pertencia ao doutor Manoel Sá Viana, um jurisconsulto brasileiro, que morou no país vizinho. Assim, em 20 de fevereiro de 1940, nascia o Sá Viana Futebol Clube.

Hoje o clube ocupa um grande espaço no mundo social de Uruguaiana, localizado na rua Júlio de Castilhos, 2222. Possui um parque esportivo dos mais modernos da região, o “Parque dos Álamos”, com piscinas semiolímpicas, sendo uma delas térmica, quadras poliesportivas, local para lazer e camping.

Mantêm o seu campo para prática do futebol, onde passaram os grandes craques do passado e do presente de Uruguaiana. Na sua estrutura tem bar para atendimento de associados e um restaurante moderno.

Os fundadores do clube foram: Victor Amândio Pereira da Silva, Derly Prato, Pedro Portugal, Edgard Andreoli, Setímio Mandarino, Santiago Bellini, João Luiz Prunes, Vicente Torres, Tasso Portugal, Mário Gomes de Souza, Alfredo Andreolli e Darci Andrade

Alguns Presidentes da história do Sá Viana: 1940, Dario Souza Sobrinho; 1941, Clotário O. Portugal; 1942, Setímio Mandarino Lopes; 1943, Major Antônio A. Dias; 1944, Fernando T. Moura; 1945, Dr. Newton C. Degrazzia; 1946, Rafael Del Cueto; 1947, Dr. Renê Walter Cobeuli, 1948, Fernando T. Mol'ra; 1949, Antonio Martins Bastos; 1950, Felisberto G. dos Santos; 1951, José O. Fagundes; 1952, Fernando T. Moura; 1953, Luiz Picaveia; 1954, Antônio Martins Bastos; 1955,  Derly Pratto; 1956/59, Dr. Marco Ochoa Neto; 1960, Dr. Moacir R. Martins; 1961, Dr. Heider Pinto; 1962, Dr. Marco Ochoa Neto; 1963/64, Jose Paulo Bastos; 1965, Dr.Eloy Arcidio Trojan; 1967, Dr. Vilson Ferretto; 1968, Alberto Moura; 1969/70, Dr. Luiz C. G. Bastos; 1971, Gregorio A. Correa; 1972, Dr. Luiz C. G. Bastos; 1973/74, Eloy Arcidio Trojan; 1975, Dr. Eduardo S. de Souza; 1976, Hugo Cassel; 1977/78, Alcibiades A. Pereira; 1979/80, Julio L. Gonçalves; 1981, José G. Machado; 1982 , Armando Pijuan; 1983, Carlos Felipe Tramunt; 1984/85, José Carlos Pratto; 1986/90, Dr. Raymundo D. Braga; 1991, Umbelino Francisco Gomes; 1992/2002, Hipólito Baratz Ribeiro e 2003, Milton Raul Vidal Lemos.

Títulos: Campeão da Cidade (1947, 1948, 1951 e 1952); Campeão Estadual de Amadores (1951 e 1952);  Campeão Estadual 1ª Divisão de Profissionais (1948, 1954, 1958, 1959, 1961 e 1964; Disputou a Divisão de Honra (1976).
Técnicos Campeões: Eurico Cocaro, Breno A. da Silveira e Suzano em 1954, 1958, 1959, 1961 e 1964.

Grandes nomes dentro de campo: Azevedo (goleiro), Baio (zagueiro), Léo (meio-campo) que transferiu-se para o Renner em Porto Alegre e daí para o Grêmio, Mugica que aqui jogava com o nome de Velho, atuou em Porto Alegre no Cruzeiro, Grêmio e Internacional, Balejo e Dirceu grandes nomes em 1951 e 1952, Cabrera (centro-avante) paraguaio que morava em Libres e foi campeão em 1951, Juca Souza conceituado como Doutor em Futebol, Nique N., artilheiro, o maior da história, Bentevi, Catarino, Benito, Carlos e os irmãos Pichica e Zeca.

Sala de Troféus.


2003 - Jantar de confraternização.

Time sem identificação.

Foto sem identificação

1972. Sá Viana.

Anos 1970.

Time de 1965.

Inauguração da Sede do Sa Viana em 20 de fevereiro de 1958. Na foto Paulo, Iara e Ochoa, respctivamente Secretário, Madrinha e Presidente.

Soares, foi um dos grandes jogadors do Sá Viana.

1958 - 1959 - Bi-campeão da cidade. Em pé: Zeca - Carpim - Benito - Santos - Bid e Catarino. Agachados: Pichica - Nick - Dilson - Xirunga e Selo.

1952 - Em pé: Azevedo - Aurelio - Bahia - Pedro - Paulo e Léo. Agachados: Chimbé - Nick - Balejo - Godô e Chanches.

Anos 1940.

Sem identificação.

Sem o ano. Em pé: Sidney - Samuel - Nadir - Hugo - Loss - Enir - Rene e Suzano (técnico). Agachados: Margarida - Tunico - Nick - Edgar - Lachixa e Cacaio.

Dirigentes Paulo Bastos, Rene Cobeli, Zequinha Fagundes e FernandoTarrago Moura.

Alguns fundadores do Sá Viana.

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Amor sem limite

Textos e Fotos: Blog www.futeboldecampo.net

Foi no dia 2 de abril de 2014, uma quarta-feira de Champions League, Libertadores e Copa do Brasil, um clássico, na acepção da palavra. Longe dos holofotes, jogaram Juventus x Internacional. O da Mooca contra a de Limeira. Durante Real Madrid x Borússia Dortmund e PSG x Chelsea, o alvinegro do interior bateu o Moleque Travesso por 2 X 0 pelo Paulistinha da Série A-3. Mas o que vale são as imagens que mostram o amor sem limite dos torcedores por seus times, não importando o tamanho deles

Nostalgia no clássico “escondido” entre Juventus e Inter de Limeira pela Série A-3.

O orgulho de ser juventino.

E, entre um clique e outro, papos nostálgicos deliciosos na Rua Javari. Aulas de história acerca dos dias de glória do clube da zona leste. Tempos em que o time grená aprontava travessuras para cima dos grandes paulistas. "Especialmente contra o Corinthians", recorda um senhor acomodado junto à igualmente tradicional galera da Setor 2.

Torcedor isolado, ao lado do placar da Rua Javari.

Torcedor limeirense de longe olha o jogo.

Torcedores da inter, de Limeira, comemoram um gol.

Solitário torcedor do Juventus.

O amor do torcedor interiorano ao seu time é algo notável.

Outro torcedor solitário.

Elias Pássaro, 86 anos, 50 deles como massagista do Juventus. Agora é somente mis um torcedor.