quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Sá Viana Futebol Clube

Fotos: Acervo do Sá Viana Futebol Clube

HISTÓRICO

No início dos anos 40, dois clubes rivais do centro da cidade, Flamengo e Rio Branco, resolveram unir as forças e criar uma nova equipe de futebol. Realizaram um jogo, cujo prêmio seria batizar o novo clube com o nome do vencedor. Mas, em meio a disputa, da qual ninguém sabe ao certo quem ganhou, foi sugerido que o novo clube homenageasse a pessoa, cujo busto encontrava-se a beira do rio Uruguai.

O busto, um presente vindo do governo argentino, pertencia ao doutor Manoel Sá Viana, um jurisconsulto brasileiro, que morou no país vizinho. Assim, em 20 de fevereiro de 1940, nascia o Sá Viana Futebol Clube.

Hoje o clube ocupa um grande espaço no mundo social de Uruguaiana, localizado na rua Júlio de Castilhos, 2222. Possui um parque esportivo dos mais modernos da região, o “Parque dos Álamos”, com piscinas semiolímpicas, sendo uma delas térmica, quadras poliesportivas, local para lazer e camping.

Mantêm o seu campo para prática do futebol, onde passaram os grandes craques do passado e do presente de Uruguaiana. Na sua estrutura tem bar para atendimento de associados e um restaurante moderno.

Os fundadores do clube foram: Victor Amândio Pereira da Silva, Derly Prato, Pedro Portugal, Edgard Andreoli, Setímio Mandarino, Santiago Bellini, João Luiz Prunes, Vicente Torres, Tasso Portugal, Mário Gomes de Souza, Alfredo Andreolli e Darci Andrade

Alguns Presidentes da história do Sá Viana: 1940, Dario Souza Sobrinho; 1941, Clotário O. Portugal; 1942, Setímio Mandarino Lopes; 1943, Major Antônio A. Dias; 1944, Fernando T. Moura; 1945, Dr. Newton C. Degrazzia; 1946, Rafael Del Cueto; 1947, Dr. Renê Walter Cobeuli, 1948, Fernando T. Mol'ra; 1949, Antonio Martins Bastos; 1950, Felisberto G. dos Santos; 1951, José O. Fagundes; 1952, Fernando T. Moura; 1953, Luiz Picaveia; 1954, Antônio Martins Bastos; 1955,  Derly Pratto; 1956/59, Dr. Marco Ochoa Neto; 1960, Dr. Moacir R. Martins; 1961, Dr. Heider Pinto; 1962, Dr. Marco Ochoa Neto; 1963/64, Jose Paulo Bastos; 1965, Dr.Eloy Arcidio Trojan; 1967, Dr. Vilson Ferretto; 1968, Alberto Moura; 1969/70, Dr. Luiz C. G. Bastos; 1971, Gregorio A. Correa; 1972, Dr. Luiz C. G. Bastos; 1973/74, Eloy Arcidio Trojan; 1975, Dr. Eduardo S. de Souza; 1976, Hugo Cassel; 1977/78, Alcibiades A. Pereira; 1979/80, Julio L. Gonçalves; 1981, José G. Machado; 1982 , Armando Pijuan; 1983, Carlos Felipe Tramunt; 1984/85, José Carlos Pratto; 1986/90, Dr. Raymundo D. Braga; 1991, Umbelino Francisco Gomes; 1992/2002, Hipólito Baratz Ribeiro e 2003, Milton Raul Vidal Lemos.

Títulos: Campeão da Cidade (1947, 1948, 1951 e 1952); Campeão Estadual de Amadores (1951 e 1952);  Campeão Estadual 1ª Divisão de Profissionais (1948, 1954, 1958, 1959, 1961 e 1964; Disputou a Divisão de Honra (1976).
Técnicos Campeões: Eurico Cocaro, Breno A. da Silveira e Suzano em 1954, 1958, 1959, 1961 e 1964.

Grandes nomes dentro de campo: Azevedo (goleiro), Baio (zagueiro), Léo (meio-campo) que transferiu-se para o Renner em Porto Alegre e daí para o Grêmio, Mugica que aqui jogava com o nome de Velho, atuou em Porto Alegre no Cruzeiro, Grêmio e Internacional, Balejo e Dirceu grandes nomes em 1951 e 1952, Cabrera (centro-avante) paraguaio que morava em Libres e foi campeão em 1951, Juca Souza conceituado como Doutor em Futebol, Nique N., artilheiro, o maior da história, Bentevi, Catarino, Benito, Carlos e os irmãos Pichica e Zeca.

Sala de Troféus.


2003 - Jantar de confraternização.

1972.

Anos 1970.

Time de 1965.

Inauguração da Sede do Sa Viana em 20 de fevereiro de 1958. Na foto Paulo, Iara e Ochoa, respctivamente secretário, madrinha e presidente.

Soares, foi um dos grandes jogadores do Sá Viana.

1962.

1962.

1959.

1958 - 1959 - Bi-campeão da cidade. Em pé: Zeca - Carpim - Benito - Santos - Bid e Catarino. Agachados: Pichica - Nick - Dilson - Xirunga e Selo.

1958.

1958.

1952 - Em pé: Azevedo - Aurelio - Bahia - Pedro - Paulo e Léo. Agachados: Chimbé - Nick - Balejo - Godô e Chanches.

1951.

1947.

1946.

1940.

Anos 1940.

1940.

Sem o ano. Em pé: Sidney - Samuel - Nadir - Hugo - Loss - Enir - Rene e Suzano (técnico). Agachados: Margarida - Tunico - Nick - Edgar - Lachixa e Cacaio.

Dirigentes Paulo Bastos, Rene Cobeli, Zequinha Fagundes e FernandoTarragô Moura.

Alguns fundadores do Sá Viana.

FOTOS SEM IDENTIFICAÇÃO









segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Amor sem limite

Textos e Fotos: Blog www.futeboldecampo.net

Foi no dia 2 de abril de 2014, uma quarta-feira de Champions League, Libertadores e Copa do Brasil, um clássico, na acepção da palavra. Longe dos holofotes, jogaram Juventus x Internacional. O da Mooca contra a de Limeira. Durante Real Madrid x Borússia Dortmund e PSG x Chelsea, o alvinegro do interior bateu o Moleque Travesso por 2 X 0 pelo Paulistinha da Série A-3. Mas o que vale são as imagens que mostram o amor sem limite dos torcedores por seus times, não importando o tamanho deles

Nostalgia no clássico “escondido” entre Juventus e Inter de Limeira pela Série A-3.

O orgulho de ser juventino.

E, entre um clique e outro, papos nostálgicos deliciosos na Rua Javari. Aulas de história acerca dos dias de glória do clube da zona leste. Tempos em que o time grená aprontava travessuras para cima dos grandes paulistas. "Especialmente contra o Corinthians", recorda um senhor acomodado junto à igualmente tradicional galera da Setor 2.

Torcedor isolado, ao lado do placar da Rua Javari.

Torcedor limeirense de longe olha o jogo.

Torcedores da inter, de Limeira, comemoram um gol.

Solitário torcedor do Juventus.

O amor do torcedor interiorano ao seu time é algo notável.

Outro torcedor solitário.

Elias Pássaro, 86 anos, 50 deles como massagista do Juventus. Agora é somente mis um torcedor.