domingo, 5 de janeiro de 2020

O "Fantasma da Área"

Luiz dos Santos Luz nasceu em Porto Alegre, no dia 29 de novembro de 1909 e faleceu em 27 de agosto de 1989. Foi um futebolista brasileiro que atuou como zagueiro e disputou a “Copa do Mundo de 1934”, na Itália.

Era conhecido como "Fantasma da Área", pelo temor que incutia nos atacantes adversários. Em 1934, quando defendia o Americano de Porto Alegre, foi convocado para a Seleção Brasileira que esteve na “Copa do Mundo”, da Itália.

Foi o primeiro jogador de um time gaúcho a ter esta honraria. É certo que, da Copa anterior (1930), participara outro gaúcho, Moderato Visintainer, que, no entanto, à época, jogava no Flamengo, do Rio de Janeiro.

A atuação brasileira na Copa de 34 foi decepcionante: a Seleção perdeu para a Espanha por 3 X 1 na estréia e logo retornou para casa. No total, Luís Luz vestiu a camisa do Brasil em nove jogos com duas vitórias, quatro empates e três derrotas.

Entre 1932 e 1934 jogou no Peñarol, de Montevidéu. Títulos. Americano: Campeonato Gaúcho (1928) e Grêmio: Campeonato da Cidade de Porto Alegre (1937, 1938 e 1939) (Fonte: Wikipédia)

Em 2 de outubro de 1938, Grenal pelo Campeonato de Porto Alegre: Grêmio 4 X 3 Internacional. Superando já no chão o goleiro colorado Júlio Petersen.

22 de setembro de 1935. Na foto por ordem: Lara - Foguinho - Mascarenhas - Dario - Luiz Luz - Mottini - Mário Pereira - Jorge - Veronese - Adão - Russinho - Lacy - Sardinha II e Castilho.

28 de abril de 1940. Grenal pelo citadino, Grêmio 2 X 3 Internacional.  À esquerda, Luiz Luz, capitão gremista, ao centro, o árbitro pelotense Francisco Azevedo e à direita, o capitão colorado Russinho.

Luiz Luz, zagueiro do Esporte Clube Americano , defendendo a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1934. Escalação do “escrete brasileiro abaixo da foto”.

Luiz Luz, zagueiro do Esporte Clube Americano , defendendo a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1934.


Contratado pelo Grêmio em 1935.

Luiz Luz, zagueiro do Esporte Clube Americano, de Porto Alegre, defendeu a Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1934.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

O papa-títulos de Brasília (2)



O terceiro reencontro da Família Rabellense aconteceu em em 20 de abril de 2002, na Churrascaria do Lago. Muitos daqueles que participaram da história da Construtora Rabello S.A e do time de futebol compareceram, abrilhantando a festa.


Os artilheiros do Rabello na história.


Mello, Beto Pretti e Betão.


Antônio, Laranjeira e Nonô.


Mello e Jair.


Mello do Rabello e Tostão, do Cruzeiro de BH.


Jogadores Léo e Zé Maria, no Estádio Paulo Linhares.

Rabello em 1968. 


Time que excursionou ao Pará e Piauí em 1967.

Mello, do Rabello e Pelé do Santos, trocam flâmulas antes do amistoso entre Seleção do DF e Santos, em 1967, em Brasília.


Time Juvenil do Rabello, campeão brasiliense de 1967.


 Uma das formações do Rabello, em 1967. 

Em 1967.

O repórter Wanderley Matos entrevistando os jogadores Invasão e Hector Gritta após a vitória sobre o Guará, em 1967.


Lance de um amistoso com o Flamengo, do Rio de Janeiro, em 1967, na entrega de faixas aos campeões de Brasília.

Antes do jogo, atletas do Rabello receberam as faixas de campeões brasilienses de 1967, entregues pelos jogadores do Flamengo, do Rio de Janeiro.

Cid, do Rabello, artilheiro do campeonato de 1967.

Rabello, campeão do Torneio Início de 1966.


Comemoração do título em 1965 contra o Guará.

Campeão de 1965.


Rabello, campeão profissional de Brasília em de 1965.


Os campeões de 1965.