terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Revelações sobre Eurico Lara


Antônio Almeida Junior - Uruguaiana, RS, Brazil. Bacharel em Direito, 27 anos, ex-presidente do Diretório Acadêmico de Direito Hermeto Pinto Bermudez, da PUCRS Uruguaiana, Gestão 2005-2007 e 2007-2009. Ex- delegado da UNE nos 50º e 51º Congressos Nacional da UNE em Brasília, 2007 e 2009. Desde 2005 trabalhando na Secretaria de Esportes "SMEL" na elaboração e execução de eventos esportivos, como Copa Uruguaiana de Futsal, Schimitinho de Futsal, Interbairros entre outros e delegado da Federação Gaúcha de Futebol em Uruguaiana/RS.

Pesquisas

Antônio Carlos de Almeida Alves Junior, motivado pelo jornalista e escritor esportivo Cláudio Dienstmann, realizou pesquisas sobre a história de Eurico Lara, ex goleiro do Esporte Clube Uruguaiana e craque do Grêmio Football Porto Alegrense, nas décadas de 1920 e 1930.

Com essas pesquisas descobriu no acervo histórico de Uruguaiana, talvez a única prova escrita ainda existente que, Eurico Lara foi realmente jogador do Esporte Clube Uruguaiana no ano de 1919.

Muitos historiadores e o próprio Grêmio, não tinham certeza de qual time da cidade de Uruguaiana Eurico Lara pertenceu, antes de ir jogar em Porto Alegre, segundo Cláudio Dienstmann.

Alves Júnior descobriu nos jornais da época, que Eurico Lara, como todos nós o conhecemos, tinha outro sobrenome depois de Lara, e também um apelido que até então eram desconhecidos do Grêmio e da história do jogador.

Eurico Lara, maior jogador de todos os tempos do Grêmio chamava-se na verdade Eurico Lara Fonseca, e era conhecido pelo apelido de “Calavera”. Está na matéria do Jornal “A NAÇÃO”, de 19 de setembro 1919:

“Passou a fazer parte do valoroso Uruguayana o famoso goal-keeper senhor Eurico Lara Fonseca, conhecido pelo appelido de Calavera”. Provando assim que o craque imortal do Grêmio, além de ter outro sobrenome, tinha também um apelido.


Essas pesquisas foram realizadas para colaborar com o livro que está sendo escrito pelo jornalista Cláudio Dienstmann, sobre a vida do ex-jogador Eurico Lara Fonseca.


Jornal da época.

Foi feita mais uma grande descoberta sobre a vida do ex goleiro do Grêmio Eurico Lara Fonseca “Calavera”.

Recentemente foram feitas algumas descobertas em Uruguaiana, sobre Eurico Lara, através de pesquisas realizadas por Antônio Carlos de Almeida Alves Junior. Ele conseguiu identificar um outro time em que Eurico Lara participou em Uruguaiana, antes de ser jogador do E.C. Uruguaiana e do Grêmio.

Esse time chamava-se “Militar”, e participava do campeonato local da época. Talvez o “Militar” tenha sido o primeiro time em que Eurico Lara Fonseca, conhecido na época por “Calavera” tenha jogado.

Sempre se teve dúvidas sobre quais times Lara jogou em Uruguaiana. Agora se sabe que atuou em pelo menos dois clubes locais, antes de ir jogar no Grêmio.

Agora temos quatro grandes descobertas sobre a vida de Eurico Lara:

- Ele chamava-se na verdade Eurico Lara Fonseca. Esse último sobrenome “Fonseca” era até hoje desconhecido na história do jogador.

- Lara tinha um apelido, que também desconhecido até hoje, “Calavera”.

- Documento comprovando que Eurico Lara jogou no Esporte Clube Uruguaiana.


- Documento comprovando que Eurico Lara Fonseca, o “Calavera”, antes de jogar no E.C. Uruguaiana, defendeu um time chamado “Militar”, formado por elementos que serviam no Exército, na época.




Jornal de 1919 que fala da contratação de Eurico Lara Fonseca pelo Esporte Clube Uruguaiana. Na época Lara era conhecido como "Calavera" e já era famoso.
 


Jornal da época em que fala da partida entre brasileiros e estrangeiros residentes em Uruguaiana. "Calavera" era o goleiro dos brasileiros..

8 comentários:

Ivan disse...

Parabéns pela matéria! História é sempre bem vinda, ainda mais de alguém tão importante pro esporte Gaúcho, feito o Calavera.

Mas por quê Calavera ? Qual o significado do apelido do Lara?

Antônio Almeida Junior disse...

Calavera aqui em Uruguaiana significa alguém que faz muito bem alguma atividade, por exemplo: jogar cartas muito bem, jogar futebol muito bem... Aqui para Uruguaiana cidade onde saiu o Eurico Lara é este significado a palavra calavera!!

CHARLIE PARKER disse...

No meio dos gaúchos mais ligados ao tradicionalismo, diz-se do "calavêra" (priorizando a pronúncia) algo mais ou menos parecido ao que seria o "malandro" para o carioca; é perspicaz, jogador de truoo, "ladrão" de moça (prenda), bom dançador...enfim, um gaúcho pra lá de esperto.

Mas aproveito para incrementar a história de Eurico Lara. Agora, com os festejos do final do Olímpico e da inauguração da Arena do Grêmio, tenho prestado mais atenção nas coisas do time. Na verdade, sou um gremista que saiu muito cedo de casa e fui acumulando paixões pelo caminho, Corinthians, Flamengo, Cruzeiro, e também torço pelo Caxias, minha terra natal. Só agora estou sabendo quem foi Eurico Lara através desse blog, despertado pelo narrador dos festejos da inauguração da Arena, que destaca Eurico Lara entre as projeções feitas ontem na inauguração. Pois bem, cheguemos à história que quero contar. No bairro onde nasci, Bairro Sagrada Família, em Caxias do Sul, havia 4 times de futebol, o Shangri-lá (do buteco do Seo Plácido, na R. Nestor Moreira), o Conselheiro Farroupilha (da R. Conselheiro Dantas), o Dom Pedro (do buteco do Seo Pedro, meu tio, Tio Nenê) e o EURICO LARA, do Seo Tufica, onde grande parte do time era composto pelos seus filhos Cacau, Fernando,Dirceu, e talvez ainda outros que eu nunca conheci, nessa época eu ainda era bem criança, coisa do começo dos 70; o Eurico Lara ficava numa rua que não recordo o nome, talvez seja R. Irmão Maurício, uma pequena rua de um quarteirão apenas, à época, que iniciava em uma das extremidades da da R. Nestor Moreira. Esses 4 times eram bem próximos a minha casa, onde mora meu pai até hoje.Sempre fui curioso em saber de onde tiraram aquele nome 'Eurico Lara', naquela época, tudo o que eu conseguia imaginar é que fosse o pai ou avô do Seo Tufica, algo assim, porque, pra mim, criança, era difícil imaginar que se tratasse de uma homenagem a alguém que fizera história no Grêmio. Algumas vezes, depois de adulto, chegamos a indagar, entre irmãos de onde esse nome poderia ter saído, e a coisa sempre terminava em brincadeiras, porque, de fato, ninguém sabia e possivelmente ainda não saibam até hoje, eu acabei de saber, como disse, através da matéria desse blog. Parabéns ao autor pela pesquisa, minha tese de doutorado foi sobre história (apesar de ser professor de Matemática) e por isso sei o quanto é valioso e prazeroso esse trabalho de arqueologia do saber.

Outra história curiosa é que no encontro da R. Nestor Moreira com essa rua onde ficava o time do Eurico Lara morava o Seo Quebra-Queixo e sua família. A duas quadras morro acima tinha o CTG Tropeiros do Rio Grande, fundado pelo meu pai e onde é sua casa até hoje. Pois foi nesse lugar em que Seo Quebra-Queixo tocou a gaitinha de botão, seu filho Roque e seu pai Seo Marcílio dançaram a Dança dos Facões para o folclorista Paixão Côrtes catalogar essa famosa dança gaúcha. Algum tempo depois, meu pai. Seo Almiro Pereira, se tornou o Patrão do CTG Paixão Côrtes, que ficava na outra extremidade da R. Nestor Moreira, início de uma grande rua de Caxias do Sul, a R. Pinheiro Machado.

Enfim, reminiscências!

Denizalde Pereira
Atualmente residindo em Sinop, MT
Professor de Matemática da Universidade do Estado de Mato Grosso.

Anônimo disse...

Parabéns pela matéria, gostaria de saber algo da história como: existem familiares do Eurico Lara vivos como sobrinhos talvez netos? Procede a história do pênalti? E por fim: o livro já está a venda?

Att: Joel Siqueira

Anônimo disse...

Eu sou bisneta :D

Tatiana Simonini disse...

Existem quatro sobrinhos vivos netos de Eurico Lara: Nair Vasconcellos Simonini, Elcy Estamado Vasconcellos, Ascio Vasconcellos e Sandra Maria Costa Medeiros.

Robison SILVEIRA PEREIRA disse...

Impressionante. O nosso querido e lendário goleiro, um patrimônio gremista que não tem preço, não era de família numerosa. Pois existem pouquíssimos representantes para nos contar suas histórias. Um fraterno Abraço azul

Robison SILVEIRA PEREIRA disse...

Seria legal que procurassem o Grêmio, o qual, Lara foi apaixonado e contribuíssem com informações e mais relatos sobre esse ser maravilhoso que habitou a terra e graças à Deus jogou no Grêmio. Uma Abraço Tatiana