quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Campeões Cariocas, ano a ano (I)



104 anos de emoções no Campeonato Carioca

Fotos: Acervos dos clubes cariocas

Histórico do Campeonato

Os quatro primeiros títulos do futebol carioca (1906, 1907, 1908 e 1909) foram conquistados pelo Fluminense. Disputaram o campeonato carioca de 1906 as equipes do Bangu, Botafogo, Fluminense, Football Athetic, Paysandu e Rio Cricket.

Na vitória do tricolor sobre o Paysandu por 7 X 1, Horácio Costa Santos marcou o primeiro gol da história dos campeonatos do Rio de Janeiro. O Fluminense obteve nove vitórias e sofreu apenas uma derrota (Paysandu 1 X 3) e Horácio foi o artilheiro com 18 gols.

A expectativa otimista com relação ao campeonato carioca de 1907, em razão do sucesso do ano anterior, não se confirmou. Após a vitória do Botafogo sobre o Fluminense por 4 X 2, a diferença entre tricolores e alvinegros diminuiu para dois pontos.

O regulamento do campeonato estabelecia que em caso de empate entre duas agremiações, ficaria com o título a que tivesse maior número de gols a favor no decorrer do certame.

O Botafogo marcara 14 gols e o Fluminense fizera 16 até aquele momento. Na última partida do campeonato o Botafogo enfrentaria a fraca equipe da A.A. Internacional e teoricamente era grande a possibilidade dos botafoguenses superarem os tricolores na soma de gols.

A A.A. Internacional, que não enfrentou o Fluminense no returno porque estava suspensa pela Liga, não compareceu para jogar com o Botafogo.

Enquanto o Fluminense exigia que o regulamento fosse cumprido, o Botafogo achava-se prejudicado por não ter jogado contra a AA Internacional, tirando-lhe a oportunidade de se igualar aos tricolores em pontos ganhos e superá-los na soma de gols.

Os dois clubes não chegaram a um acordo e o título ficou sem dono. A Liga Metropolitana foi extinta e somente 89 anos depois a Federação Estadual de Futebol do Rio de Janeiro por ato administrativo, em 1996, declarou o Botafogo e o Fluminense campeões de 1907.

Surge o “Glorioso”

Em 1910 o Botafogo quebrou a hegemonia do Fluminense e conquistou o quinto campeonato carioca em 1910. América, Fluminense, Haddock Lobo, Riachuelo e Rio Cricket foram os adversários alvinegros.

Foram nove vitórias e apenas uma derrota (América 1 a 4). Após cada triunfo, as mensagens recebidas pelo clube diziam sempre: “Ao Glorioso Botafogo FC”. Daí, o Botafogo ficou conhecido como “O Glorioso”.

Nasce o futebol do Flamengo

No ano seguinte, após o tumultuado jogo diante do América, o Botafogo se retirou do campeonato. A diretoria alvinegra tomou a decisão antes mesmo da Liga suspender Abelardo Delamare por um ano pela agressão a Gabriel de Carvalho.

O Fluminense voltou a ser campeão sob a direção técnica do inglês Charles Williams. Porém, depois do campeonato oito jogadores de seu elenco deixaram o clube para fundar a seção de futebol do Flamengo.

Com o famoso goleiro Marcos Carneiro de Mendonça e mais Belfort Duarte, Gabriel de Carvalho e o chileno Ojeda na equipe, o América chegou ao seu primeiro título carioca em 1913.

Os anos de 1914 e 1915 foram do Flamengo. Os jogadores que saíram do Fluminense formavam a base do time bicampeão. Nas duas temporadas, o time rubro-negro sofreu apenas uma derrota (Botafogo 1 X 2).

Depois do bicampeonato do Flamengo, o América conseguiu seu segundo título com a vantagem de cinco pontos sobre o Botafogo e o Bangu.

As sensacionais campanhas do Fluminense no tricampeonato.

Praticamente com o mesmo time, o Fluminense chegou ao tricampeonato carioca de 1917, 18 e 19. Nos três anos, a equipe tricolor teve dois técnicos: o inglês Qiuncey Taylor e o uruguaio Ramon Platero.

Os principais jogadores eram Marcos Carneiro de Mendonça, Chico Neto, Fortes, Mano, Zezé e Harry Walfare, o “tanque inglês”. Nas cinqüenta e quatro partidas jogadas nos três anos, o time das Laranjeiras obteve quarenta e quatro vitórias, cinco empates e cinco derrotas.

No campeonato carioca de 1917, ano do bicampeonato, o Fluminense derrotou o América por 3 X 1. O atacante Celso gira o corpo, livra-se da marcação adversária e marca o 2º gol tricolor.

Em 1919, ano do tricampeonato, o Fluminense ganhou do Andarahy por 4 X 2. Marcos Carneiro de Mendonça, o primeiro grande goleiro da história do futebol brasileiro, observa a rebatida do zagueiro Chico Neto.

Flamengo é novamente bicampeão

Dois gaúchos se destacavam no elenco rubro-negro: o goleiro Kutz e e ponta-esquerda Candiota. No ano do bicampeonato, Flamengo e América terminaram o campeonato em primeiro lugar com nove pontos perdidos.

No dia 21 de setembro de 1921, rubros-negros e rubros pisaram o gramado do estádio do Fluminense para decidirem o título. O tempo normal de jogo terminou com o empate de 1 X 1 gols de Chiquinho (América) e Candiota (Flamengo).

Aos 7 minutos da prorrogação Candiota marcou o gol da vitória e o Flamengo se sagrava bicampeão carioca.

O título histórico do Centenário da Independência

O América apresentou ao público carioca em 1922 aquele que é considerado por muitos o melhor jogador americano de todos os tempos: Osvaldo Mello, o Osvaldinho, conhecido como “Divina Dama”, pela elegância com que jogava futebol. O campeonato do Centenário da Independência do Brasil foi conquistado na penúltima rodada após o time rubro vencer o São Cristóvão por 3 X 1.



1960, América.

1959, Fluminense.

1958, Vasco.

1957, Botafogo.

1956, Vasco.

1955, Flamengo.

1954, Flamengo.

1953, Flamengo.

1952, Vasco.

1951, Flamengo.

1950, Vasco.

1949, Vasco.

1948, Botafogo.

1947, Vasco.

1946, Fluminense.

1945, Vasco.

1944, Flamengo.

1943, Flamengo.

1942, Flamengo.

1941, Fluminense.

1940, Fluminense.

1939, Flamengo.

1936 - 1937 - 1938, Fluminense.

1936 - 1937, Fluminense.

1935, América.O Campeonato Carioca de Futebol de 1935 foi disputado em duas ligas. O organizado pela FMD (Federação Metropolitana de Desportos) foi vencido pelo Botafogo. O da LCF (Liga Carioca de Futebol) pelo América.

1932 - 1933 - 1934 - 1935, Botafogo

1931, América.

1930, Botafogo.

1929, Vasco.

1928, América.

1927, Flamengo.

1926, São Cristóvão.

1925, Flamengo.

1924, Fluminense.

1923, Vasco.

1922, América.

1921, Flamengo.

1920 Flamengo.

1919, Fluminense.

1918, Fluminense.

1917, Fluminense.

1916, América.

1915, Flamengo.

1914, Flamengo.

1913, América. Em pé: Luiz Mendonça - Marcos e Belfort Duarte. Ajoelhados: F. Mendes - Jonathas e Lincoln. Sentados: Witte - J. Moreira - Ojeda - Gabriel e Osman.

1912, Paysandu. De cima para baixo: Robinson - Eric Pullen e C. Smart - Wood - Ron Robinson e Mac Intyre - Monk - L. Pullen - Harry Robinson - Sidney Pullen e Gillian. A metade do time era formada por integrantes das famílias Robinson e Pullen.

1911, Fluminense. De baixo para cima: 1ª fila: Osvaldo Gomes - Borgeth - Carvalho e Calvert. Na 2ª fila: Orlando Lawrence - Amarante e Galo. Na 3ª fila: Píndaro - Baena e Nery.

1910, Botafogo. De cima para baixo: Coggin - Pullen e Dinorah - Rolando - Lulu e Lefévre - Emanuel - Abelardo - Décio - Mimi e Lauro.

1909, Fluminense.

1908, Fluminense.

1907, Fluminense.

1907, Botafogo.

O Campeonato Carioca de Futebol de 1907 foi o segundo campeonato de futebol do Rio de Janeiro. A competição foi organizada pela Liga Metropolitana de Football. O Fluminense e o Botafogo somaram o mesmo número de pontos ao fim da competição, e não chegaram a um acordo sobre o desempate.

O Fluminense tinha melhor saldo de gols do que o Botafogo, inclusive nos jogos entre eles, e declarou-se campeão. Já o Botafogo exigia a disputa de um jogo-desempate, que não foi aceito pelo Fluminense. Sem conseguir conciliar os dois clubes, a Liga se dissolveu sem que um campeão fosse declarado.

Depois de quase nove décadas de brigas judiciais, a justiça desportiva determinou que os dois clubes foram campeões em 1907.

O Fluminense se recusou a disputar um jogo extra com o Botafogo, para decidir o título, se auto proclamando campeão. Não havia critério de desempate no estatuto da Liga. Em 1996, foi decidido pela Federação, a divisão do título entre ambos os clubes.

1906, Fluminense.

Um comentário:

Anônimo disse...

O VASCO É ATÉ HOJE O ÚNICO SUPER-SUPER CAMPEÃO ESTADUAL DO BRASIL EM 1958 .