segunda-feira, 18 de abril de 2011

Em memória de um craque


Morreu no último sábado, 16 o ex-jogador Sidney Colônia Cunha, que ficou conhecido como Chinesinho e foi ídolo no F.B.C. Rio-Grandense, de Rio Grande (RS) onde começou a carreira, S.C. Internacional, de Porto Alegre, S.E.Palmeiras, de São Paulo e no futebol italiano. Ele completaria 76 anos no dia 28 de junho e sofria do mal de Alzheimer. Seu corpo foi cremado em São Leopoldo (RS).

Chinesinho vivia em Rio Grande (RS), mesma cidade onde nasceu e começou a carreira de jogador. Ele defendeu o Inter entre 1955 e 58, quando foi para o Palmeiras. Ficou por lá até 62, seguindo depois para o futebol italiano,onde defendeu Catânia, Lanerossi, Vicenza, Modena, Inter de Milão e Juventus. Jogou ainda no Cosmos dos Estados Unidos. Assim que parou de jogar, virou treinador, chegando a ser o comandante palmeirense em 85.

No Palmeiras, onde fez maior sucesso e chegou a servir a seleção brasileira, o então meio-campista Chinesinho disputou 241 partidas, com 147 vitórias, 46 empates e 48 derrotas, marcando um total de 55 gols. E, por quase dois anos, ele deixou o eterno ídolo palmeirense Ademir da Guia no banco de reservas.

Com o dinheiro da venda dele (em 1962, para o italiano Modena), o Palmeiras contratou 15 jogadores e formou a primeira Academia. Vieram, entre outros, Servílio, Tupãzinho, Rinaldo, Vavá e Djalma Dias.

Chinesinho foi campeão municipal de Rio Grande, sua terra natal, pelo F.B.C. Rio-Grandense, clube que o revelou para o futebol brasileiro.
Gilnei e Chinesinho, tendo ao centro o dirigente Joaquim, do F.B.C. Rio-Grandense.
Chinesinho com a camisa do F.C. Rio-Grandense.
Os últimos dias do ex-craque foram passados em sua casa na praia do Cassino, em Rio Grande, sua terra natal.
Chinesinho tinha 21 anos quando conquistou o Pan-Americano e marcou 4 gols
Chinesinho recebeu o reconhecimento do Internacional, nos 50 anos do título panamericano pela Seleção Gaúcha, que representou o Brasil.
Chinesinho (2º da esq. para direita) atuou junto a Bodinho Luizinho e Larry na Seleção Brasileira que conquistou o PanAmericano em 56. Na foto, quando da homenagem que o Internacional fez aos campeões panamericanos de 1956.
Chinesinho na Itália.
Italianos levaram Chinesinho.
A ida de Chinesinho para a Itália.
Chinesinho na Seleção Paulista.
Chinesinho e Hélio Burini.
Time do Palmeiras em 1962.


1962. Falando do Mundial.
Chinesinho nos tempos do Palmeiras.
Chinesinho corretor.
Chinesinho no Palmeiras (Foto: Revista do Esporte)
1962. Chinesinho e Dino Sani.

1962.
1961. Preparador fisico major Mauricio Cardoso, orientando Chinesinho e Valdemar.
Na Seleção Paulista.
1961. Palmeiras, vice-campeão da Copa Libertadores da América.

1961.
1961.
Seeleção Brasileira em 1960. Em pé: Djalma Santos - Zito - Belini - Nilton Santos - Vitor e Gilmar. Agachados: Mário Américo (massagista)- Garrincha - Chinesinho - Pelé - Quarentinha e Pepe.
Time do Palmeiras em 1960.
1960. Seleção Paulista.
1960.
1960. Chinesinho e De Sordi.
1960.
1960.Pelé e Chinesinho.


1956. Internacional.
1956. Chinesinho na Seleção Gaúcha. A descrição da foto, está errada. Mostra o goleiro como sendo Valdir Peres, quando na realidade é Valdir Moraes, que era goleiro do Renner, na época.

Um comentário:

Anônimo disse...

Na ultima foto, o goleiro é Valdir de Moraes.