terça-feira, 27 de outubro de 2009

C.A. Paulistano: Os reis do futebol


Fotos: Acervo do C.A. Paulistano

Histórico

O Club Athlético Paulistano é um clube poliesportivo brasileiro sediado em São Paulo, fundado em 29 de dezembro de 1900. Sua sede encontra-se no Jardim América, próximo ao centro da cidade. Formou um importante clube de futebol no início do século XX, tendo vencido o Campeonato Paulista onze vezes (1905, 1908, 1913, 1916, 1917, 1918, 1919, 1921, 1926, 1927 e 1929).

Até hoje, o Paulistano, que fechou seu departamento de futebol em 1929, é o único clube a ter sido tetracampeão paulista consecutivamente, em 1916, 1917, 1918 e 1919. Nenhum clube paulista conseguiu igualar tal marca.

Seu uniforme titular era formado por uma camisa e calção brancos com detalhes em vermelho, e meias pretas . O segundo uniforme tinha camisa vermelha, calção branco e meias pretas.

História

Renato Miranda, Olavo de Barros e Sílvio Penteado assistiram, no Colégio Mackenzie, uma partida de futebol deste contra o Internacional, e ficaram estusiasmados. Assim, começou a nascer a idéia de se criar uma nova equipe de futebol que fosse para brasileiros e que representasse a cidade.

No fim de dezembro de 1900, na rua São Bento, nº5, houve a reunião que selou definitivamente a fundação daquele que seria o maior time do país no seu tempo. Como um dos fundadores da Liga Paulista, o Paulistano disputou todos os campeonatos por ela promovidos até 1912.

Em 1913 ocorre a primeira cisão das ligas, e o Paulistano liderava a criação da APEA. Na verdade, a equipe discordava da popularização que o esporte estava sofrendo com o surgimento de clubes como Corinthians e Ypiranga. Em 1915, houve a desapropriação do terreno do Velódromo, o Club Athletico Paulistano ficou sem sua sede esportiva.

Foi então decisiva a ação de um dos sócios fundadores, Manuel Carlos Aranha, neto, o Carlito Aranha que, juntamente com um grupo de rapazes, conseguiu que o time do Paulistano não acabasse. Um novo terreno foi adquirido no Jardim América, entretanto o Paulistano não possuía, de imediato, local para seus treinos.

Carlito Aranha pediu emprestado os campos do Palestra Itália e do São Bento e, graças à sua iniciativa, a equipe de futebol do Paulistano pôde participar dos campeonatos. Por fim, em 1917, foi inaugurado o novo campo do Paulistano, o Estádio Jardim América. Em 1916, a LPF é extinta e a liga criada pelo Paulistano continuou forte de prestigiada. O Paulistano sagrou-se tetracampeão, em 1919, apesar de toda crise pela qual passava.

Em 1926 o futebol começava a partir para o profissionalismo e o Paulistano, fiel às raízes amadoras do esporte, foi contrário e fundou uma nova liga, a Liga dos Amadores de Futebol (LAF). A liga durou até 1929, quando o time resolveu fechar seu departamento de futebol.

Após ser campeão do último campeonato que disputou, o Paulistão de 1929, O time do Paulistano fez sua derradeira apresentação em 15 de dezembro de 1929. Em seu pequeno campo, o Estádio Jardim América, com bom público no dia, o Alvirubro jogou grande partida, impondo um 6x1 sobre o Antarctica Futebol Clube (que mais tarde teria grande importância para o legado futebolístico do Paulistano), com gols de Mílton (4), Friedenreich e Luizinho para o mandante, e Spitaletti para o time da Moóca. Sua última formação fora Nestor; Clodô; e Bartô; Romeu, Rueda e Abate; Luizinho, Joãozinho, Friedenreich, Milton e Zuanella. Fora o canto do cisne e uma digna e grandiosa despedida para o Gigante no esporte bretão, que legaria com herança ao mundo, em seu lugar, outro grande time.

Quando saiu dos campos, o Paulistano era disparado o melhor time do estado. Tinha onze títulos contra sete do Corinthians e três do Palestra, além de ter contado com Arthur Friedenreich que foi seu artilheiro por seis vezes. É até hoje, 2009, o único tetracampeão consecutivo do Campeonato Paulista (1916 a 1919, sendo que mantém em sua sala de troféus as duas taças oferecidas pela APEA).

Fato memorável do clube foi a excursão da equipe de futebol à Europa em 1925, graças à iniciativa do presidente do clube, Antônio Prado Júnior. A equipe disputou dez partidas na França, Suíça e Portugal, perdeu apenas uma das partidas e logo após o término da primeira, vencida com o placar de 7 X 2 sobre o selecionado francês, os brasileiros foram denominados pela imprensa francesa por "Les Rois du football". Algumas das bolas utilizadas na Europa estão na sala de troféus do clube, além de muitos documentos textuais e iconográficos que permitem conhecer com mais profundidade a riqueza de tal feito futebolístico.

Pode-se considerar que o Paulistano abriu as portas do continente europeu para o futebol brasileiro. Tanto que nos anos trinta alguns brasileiros foram representar o futebol europeu, principalmente na Itália. Houve o famoso Anfilogino Guarisi, Filó, que não só jogou em time italiano, como representou a Itália na Copa de 1934, sagrando-se campeão mundial.

EXCURSÃO DO PAULISTANO À EUROPA EM 1925

15/03/1925 Paris Paulistano 7 X 1 Seleção da França
22/03/1925 Paris Paulistano 3 X 1 Stade Français
28/03/1925 Cette Paulsitano 0 X 1 Cette
02/04/1925 Bordeaux Paulistano 4 X 0 Bastidienne
04/04/1925 Havre Paulistano 2 X 1 Havre/Normandie XI
10/04/1925 Strasbourg Paulistano 2 x 1 Strasbourg
11/04/1925 Berna Paulistano 2 X 0 Auto Tour
13/04/1925 Zurich Paulistano 1 X 0 Seleção da Suiça
19/04/1925 Rouen Paulistano 3 X 2 Rouen
28/04/1925 Lisboa Paulistano 6 X 0 Seleção de Portugal
JOGOS 10
VITÓRIAS: 9
EMPATES: 0
DERROTAS : 1
GOLS PRÓ: 30
GOLS CONTRA : 7

Após o fechamento do departamento de futebol, uma grande parte de seus jogadores e alguns membros da diretoria fundaram o que é hoje o São Paulo Futebol Clube.
O Club Athletico Paulistano conta com times de diversas modalidades esportivas amadoras, possuindo a única quadra no Brasil de pelota basca e gerou a Sociedade Harmonia de Tênis. É até hoje um dos clubes mais caros e exclusivos do Brasil. (Fonte: Wikipedia e outros)

C.A. Paulistano em 1928. (Foto: Almanach Esportivo de Thomaz Mazzoni)

Lances de um jogo entre Palestra X Paulistano, em 1928.(Foto: Almanach Esportivo de Thomaz Mazzoni)

Jogadores do Paulistano homenageados no retorno da excursão à Europa. (Foto Revista a A Cigarra. Reprodução Folha Imagem)

Recepção aos vitoriosos jogadores no porto do Rio de Janeiro. Foi formado um cortejo que acompanhou os jogadores até a sede do Fluminense.

A multidão aguarda ansiosa a atração do Flandria navio que trazia de volta para casa os Reis do Futebol, em 12 de maio de 1925.

Foto da equipe completa na frente do gol. Em pé: Orlando Pereira - Miguel Leite - Amphilóquio Guarisi Marques (Filó) - Sérgio Pereira - Antonio Carlos Seixas - Arthur Friedenreich (El Tigre) - Araken Patusca - Mário de Andrada e Silva - Ernesto Pujol Filho (Netinho) - Mário Cardim e Fernão de Moraes Salles. Agachados: Juan Mestres Alijostes - Caetano Caldeira - Luís Lopes de Andrade (Guarany) - Clodoaldo Caldeira - Francisco Abate - Epaminonas Motta - Maurício Villela - Bartholomeu Vicente Gugani (Barthô). À frente: Júlio Kuntz Filho e Nestor de Almeida. Estão ausentes os jogadores Durval Junqueira Machado e José Joaquim Seabra Neto, ambos do Rio de Janeiro.

Antonio Carlos Seixas lança para Friedenreich, no jogo em Strasbourg com o Selecionado Alsaciano.

Lance do jogo Paulistano x Strasbourg.

Friedenreich assiste à defesa do goleiro do C.A. Bastidienne.

Disputa de gol entre Barthô e jogador do C.A. Bastidienne na partida disputada em Bordeaux no dia 2 de abril. O Paulistano venceu por 4 X 0.

Os franceses observam a elegância dos jogadores brasileiros.

Junqueira e Friedenreich avançam para o ataque no jogo contra o Stade Français.

Equipe que venceu o Stade Français por 3 a 1. Em pé: Antonio Prado Junior - Orlando Pereira - Amphilóquio Guarisi Marques (Filó) - Mário Andrada e Silva - Arthur Friedenreich - Durval Junqueira Machado - Ernesto Pujol Filho (Netinho) - Mariano Procópio e Juan Mestre Alijostes. Agachados: Bartholomeu Vicente Gugani - Sérgio - Nondas - Júlio Kuntz Filho - Francisco Abate e Clodoaldo Caldeira.

O Fabuloso salto de Nestor para defender um dos muitos ataques do selecionado francês no primeiro jogo dos brasileiros em campos europeus.

Equipe do C.A. Paulistano no primeiro jogo na França.

Equipes do CAP e do Internacional após o último treino no Brasil, em 8 de fevereiro de 1925, antes da excursão a Europa.

Friedenreich, artilheiro do campeonato paulista de 1921. (Foto Museu do C.A. Paulistano. Reprodução Norma Albano - Folha Imagem)


Friedenreich.

C.A. Paulistano em 1921 (Foto: Revista "Sports")

C.A. Paulistano em 1921. (Foto: Revista "Sports")

1919. Da esquerda para a direita Sérgio, Orlando, Rubens Sales, Mário Bueno, Carlito e Benedito. (Foto Museu do C.A. Paulistano. Reprodução Norma Albano - Folha Imagem)

C.A. Paulistano em 1919. (Foto: Revista "Sports")

Paulistano, campeão paulista de 1918. Ao centro Rubens Sales, abaixo dele, Friedenreich. (Foto Museu do C.A. Paulistano. Reprodução Norma Albano - Folha Imagem)

1918. Lance do jogo decisivo entre Paulistano X A.A. das Palmeiras. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Equipe do C.A. Paulistano em 1918.

Paulistano em 1917. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Paulistano em 1916. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Rubens Salles, craque do Paulistano nos tempos do Velódromo. (Foto: Alamanach Esportivo de Thomaz Mazzoni)

1907. O Velódromo antes de uma partida. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

1906. A torcida no Velódromo, sede dos jogos do Campeonato Paulista. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Paulistano, campeão de 1905. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Velódomo, 1905. Gol do Paulistano contra o São Paulo Athletic. Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Mackenzie, Internacional, Paulistano, A.A. das Palmeiras e São Paulo Athletic, reunidos no Velódromo em 1905. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

São Paulo Athletic X Paulistano em 1904. Pênalti para o Paulistano. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Paulistano e São Paulo Athletic em 1903. (Foto: Museu do C.A. Paulistano. Reprodução: Norma Albano, Folha de São Paulo)

Equipe do C.A. Paulistano em 1901.

3 comentários:

Palazzo disse...

Olá Nilo,
tenho um pequeno recorte de revista que pode te interessar, é deu uma foto de um jogo do vasco e flu.
mande seu e mail para palazzo10@hotmail.com

já coloquei um link desse blog no meu tarauacanoticias.blogspot.com
parabéns pelo blog, gostei muito.

ABÇ

thiago disse...

olá pessoal
estou aqui porque o meu bisavo
bartholomeu gugani, foi jogador do paulistano e estou tentando encontrar fotos dele se vcs tiverem por favor mandem para mim
msn: thiagogugani_fotografia@hotmail.com
ficarei mt grato

Anônimo disse...

No Portugal o Paulistano no venceu o selecçao mas o clube Casa Pia AC da segunda divisão, segundo o livro ''Club Athletico Paulistano: um clube que creosceu com a cidade'', (Club Athletico Paulistano, São Paulo, 1970}. Abraço, Oliver.