segunda-feira, 6 de julho de 2009

G.E. Brasil, o "xavante" pelotense (1)

FOTOS: ACERVO DO G.E. BRASIL


Resumo histórico do clube

A história do G.E.Brasil teve início depois de uma divergência entre dirigentes e jogadores do Sport Club Cruzeiro do Sul, que era mantido e dirigido por funcionários da Cervejaria Haertel.

O campo do S.C. Cruzeiro do Sul situava-se num terreno ao lado da Cervejaria Haertel. Certo dia, colaboradores do clube, que estavam colocando uma cerca ao redor do campo, viram chegar no local alguns rapazes, jogadores do S.C.Cruzeiro do Sul, os quais de imediato foram treinar.

Este fato irritou aqueles que estavam trabalhando na referida cerca. Mandaram que os outros parassem com o jogo e fossem ajudá-los. Frustados os rapazes foram embora. Por ironia do destino, dois daqueles rapazes inconformados com o ocorrido caminharam até um terreno próximo ao local onde hoje está situado o estádio do G.E.Brasil, ficaram ali sentados na grama pensando e discutindo a idéia de fundar um time de futebol, eram eles os saudosos Breno Corrêa da Silva e Salustiano Brito.

Resolveram eles marcar uma reunião de fundação do clube que teve como lugar o prédio de nº56 da rua Santa Cruz, em Pelotas, residência do Sr. José Moreira de Brito, pai de Salustiano.

Ficando a sua primeira diretoria assim constituida: Dario Feijó, presidente; Silvio Corrêa da Silva, vice; Walter da Rocha Pereira, 1º secretário; Raymundo Pinto do Rego, tesoureiro; Breno Corrêa, adjunto; Manoel Joaquim Machado, Ulysses Dias Carneiro, Manoel Ribeiro de Souza, Nicolau Nunes, Paulinho Dias de Castro e Mário Reis, diretores; E estava fundado o G.E.Brasil em 7 de setembro de 1911, extamente na data comemorativa a Independência do Brasil.

Alusivo a este fato, foi decidido que as cores da camiseta seriam verde e amarela. Possivelmente, as cores inicialmente adotadas no fardamento do G.E.Brasil, seja o primeiro fato histórico da rivalidade com o E.C.Pelotas.

Naquela época houve muita polêmica porque o fardamento dos dois clubes eram parecidos. Como o E.C.Pelotas inspirou-se nas cores do Clube Caixeral (azul e amarelo) para seu fardamento, o G.E.Brasil resolveu adotar as cores do Clube Diamantinos (vermelho e preto), mudando então as cores do fardamento.

1983, vice-campeão gaúcho. Em pé: Bastos - Marco Antônio - Hélio - Amauri - Mauro e Ernani. Agachados: Júnior Brasilia - Jurandir - Livio - André e Zezinho.

1983. Terceiro colocado no Campeonato Brasileiro. Em pé: Hélio - João Luiz - Silva - Jorge Batata - Doraci e Valdoir. Agachados: Júnior Brasilia - Bira - Livio - Andrezinho e Zezinho.

1976, campeão da cidade. Em pé: Raul Santos - Sérgio - Antônio Carlos - Amadeu - Tino e Euclides. Agachados: Mickey - Rosa Lopes - Ênio Fontana - Tarso e Eusébio.

1972, campeão da Copa Governador do Estado. Em pé: Otávio - Fernando Xavier - Celso Augusto - Birinha - Suly e Toinho. Agachados: Vanderlei - Cacau - Paulo Renato - Fernando e Carlinhos.

Equipe de 1971.

1970, campeão cidade. Em pé: Djanir - Suli - Evonir - Moacir - Jair Viana e Manoel. Agachados: Wanderlei - Régis - João Francisco - Marcos e Wilson Carvalho.

1966. G.E. Brasil. Em pé: Adilson - Dejanir - Bahia - Otacilio - Joceli e Geóvio. Agachados: Caçapava - Vanderlei - Oli - Iran e João Borges. (Foto: Acervo do Futebol Pelotense)

1961. Em pé: Osvaldo Barbosa - Catarina - Caçapava - Candiota - Canário e Geóvio. Agachados: Edi - Toquinho - Betinho - Birinha e Pintinho.

Equipe de 1954.

1953. Bi-campeão da cidade e vice-campeão estadual.

1952. Em pé: Seara - Cinza - Duarte - Tavares - Badia - Osvaldo - Táboa - Dario e Vergara. Agachados: Mortosa - Tico - Rui - Caizé - Darcy - Negrito - Galego e João Borges.

Time que em 1950 venceu a seleção do Uruguay. Em pé: Tibirica - Bedeu - Dias - Tavares - Dario - Azambuja e Chico Fuleiro (treinador). Agachados: Mortosa - Galego - Darcy - Manoelzinho e Plinio.

1946, campeão da cidade. Em pé: Tibirica - Juvenal - Tavares - Chico Fuleiro - Ari Machado e Munheco. Agachados: Mortosa - Hernandes - Tite - Scamparini e Chambão.

Formação de 1946.

1944. Em pé: Nelson - Garcia - Betinho - Leal - Tavares - Chico Fuleiro e Alvim. Agachados: Mortosa - Sadi - Toto - Birilaão e Plinio.

1942. Em pé: Teté (treinador) - Leal - Alvim - Tavares - Chico Fuleiro - Bedeu - Patronato e Escobar (goleiro reserva). Agachados : Chambão - Queçaba - Plínio - Tupã - Birilão e Amaral.

1942, Bi-campeão Citadino. Em pé Teté (técnico) - Bedeu - Patronato - Alvim - Chico Fuleiro - Tavares e Leal. Agachados: Massinha - Chambão - Tupã - Birilão e Amaral.

1941. Em pé: Teté (treinador) - Leal - Patronato - Paulinho - Alvim - Ramon - Jesus - Tavares - Chico Fuleiro - Bedeu e Munheco. Agachados: Bento - Amaral - Birilinha - Pepito - Massinha - Nede e Quida.

Anos 1940. Legenda foto bento Freitas Bento Freitas na foto é o primeiro à direita da placa descerrada inaugurando a arquibancada que levaria seu nome numa homenagem prestada pela Comissão de Obras da época 

A arquibancada ficava pela Av Juscelino K de Oliveira. Dois anos após receber essa homenagem Bento Freitas faleceu. O Clube numa decisão unânime da Diretoria e do Conselho Deliberativo da época prestou novamente uma homenagem, desta vez dando seu nome ao Estádio.

Recentemente a arquibancada da foto foi demolida para dar espaço às obras de modernização do Estádio Bento Freitas (Fonte: Ricardo Freitas)

1937. Campeão municipal invicto. Em pé: Chiquinho - Balbuena - Teotônio - Colher - Nelson Garcia e João da Cruz. Agachados: Geraldino (massagista) - Tavares - Tatão - Dirceu - Lamas - Lauro - Jesus e Carioca (reserva)

1932. Em pé: Pacheco - Gradim - Mortosa - Osório goleiro - Barbosa - Botão - Solferino e Fruto. Agachados: Eugênio - Teotônio - Dirceu e Balbuena.

1931. Em pé: Alvim - Gradim - Mortosa - Fruto - Barbosa - João Cruz e Eugênio (reserva). Agachados: Valério - Italiano - Teotônio - Sulferino - Ivo e Osório (goleiro, deitado).

Equipe de 1930.

1921. Escalção: Farias - Alberto - Proença - Rossel - Ignácio - Floriano Nunes - Dias - Tica - Pedrinho e Waldomiro.

1919, time campeão gaúcho. Floriano - Alvariza - Alberto Farias - Proença - Rossel - Babá - Gerlach - Ary Nunes e o goleiro Oswaldo Franck.

Time de 1917. Em pé: Jorge Farias - Pelágio Proença - João Frederico Gerlach - Ignácio Gerlach e Darwin Bueno. Ajoelhados: Floriano Lourenço - Waldomiro Victória (Babá) e Ismael Alvariza. Sentados Pedro Zabaleta - goleiro Oswaldo Franck e ???

1916. Olavo Bilac dando o pontapé inicial de um jogo do Brasil, de Pelotas. (Foto: Lanzetta. Publicada no blog do Mário Marcos - httpmariomarcos.wordpress.com20130410brasil-2)

Equipe de 1915.

2 comentários:

Aldo disse...

Morei em Pelotas na década de 70. É emocionante ver todas estas fotos do Brasil.
Parabéns pela divulgação!

Aldo Martins de Azevedo.

Marcos Perceu disse...

Xavante na alma, no coração e na veia!

Parabéns, emocionante!

Marcos Arim Perceu